Caracterização genética de populações de abelhas nativas

· Investigar a variabilidade genética em populações de abelhas sem ferrão em áreas naturais e antrópicas e como esta variação se distribui no tempo e no espaço, permitindo inferir sobre padrões de dispersão das espécies

· Estudar a estruturação dessas populações, obtendo informações sobre fluxo gênico via fêmea e/ou macho

· Testar a hipótese de que a “manutenção de pequenas populações necessariamente depende de um número aproximado de 44 ninhos presentes na área”

· Investigar a estrutura genética familial (monoginia / poliginia e monandria / poliandria e as relações de parentesco resultantes) e a estrutura genética das populações de espécies solitárias das tribos Centridini (Centris analis e C. tarsata) e Euglossini (Euglossa cordata, Eulaema nigrita, Exaerete spp.)