Problemas que limitam a produção e uso de abelhas na agricultura

Apesar da grande biodiversidade de abelhas no Brasil, e da criação de abelhas estar se desenvolvendo muito, especialmente a Apicultura e a Meliponicultura, não temos disponíveis no mercado colônias de abelhas para serem alugadas para implementar a produção de frutos e sementes na agricultura.

Este subprojeto foi planejado para iniciarmos a mudança deste cenário. Ele é composto de 3 blocos principais. O primeiro trata das abelhas solitárias e sua biodiversidade em algumas áreas ainda não amostradas do Estado de S. Paulo. O segundo, da Apicultura; aqui, os efeitos da temperatura sobre a enxameação de abandono e as dietas para complementar o desenvolvimento dos ninhos em épocas de falta de alimento são os projetos focais. O terceiro se refere a aspectos importantes da criação dos meliponíneos e sua utilização na agricultura: o número de alelos na viabilidade de pequenas populações, a criação de rainhas em laboratório e o sucesso reprodutivo delas, a obtenção de enxames da natureza com a utilização de ninhos-armadilha, a polinização de vibração por espécies de meliponíneos. Além destes pontos, a identificação automática de abelhas através de estudos de morfometria geométrica das asas foi uma proposta adicionada no segundo ano de projeto e que se desenvolveu, mostrando enorme potencialidade como ferramenta auxiliar para reconhecimento de espécies.