Nutrição das Abelhas e Crescimento Populacional



Um fator bastante crítico para a manutenção e a criação abelhas é a nutrição. Tanto para as abelhas nativas sociais, como para as abelhas Apis mellifera, há limitações de uso das abelhas para serviços de polinização por causa de falta de uma alimentação adequada. As abelhas precisam de proteína. Freqüentemente falta pólen em quantidade e com qualidade. A conseqüência é que as colônias não crescem, e em diversas regiões do país é comum o abandono das caixas pelas abelhas, em enxames migratórios, especialmente em épocas de pouca floração. Os apicultores perdem 40% ou mais das suas abelhas. A falta de uma alternativa adequada para o pólen também é um problema para quem busca manter e multiplicar as abelhas nativas brasileiras.

Com boas floradas de certas plantas, as colméias crescem; mas se as floradas forem ruins, não há outra alternativa que comprar pólen e alimentar as colônias com ele. Pólen de Apis, embora disponível no mercado, é caro; varia muito no seu valor nutricional, pode conter patógenos e também pode ser contaminado com inseticidas. Há também polens que são naturalmente tóxicos para as abelhas. O problema de contaminação com microorganismos patogênicos é ainda mais sério quando é usado pólen importado, o que é bastante comum.